quinta-feira, 26 de julho de 2018

Prezados amigos leitores,

Boa tarde!

Em busca por fotos nostálgicas de Copas passadas, encontrei o texto abaixo e gostaria de compartilha-ló com vocês:

Sinceramente não entendo as pessoas.

Cada dia que passa, sei menos sobre o ser humano. As pessoas vivem reclamando da vida, mesmo quando está tudo a seu favor.

Pessoas que dizem querer sempre mais e mais, mesmo quando já têm quase tudo. Não acredito que seja realmente necessário ter tudo, apenas o básico.

Pessoas que passam um bom tempo procurando por um grande amor, por exemplo, será que esse amor não está o tempo todo ao seu lado? E quando encontram essa pessoa, será que dão o devido valor a ela?

Existem pessoas também que não tem coragem de viver a realidade, sendo assim, passam maior parte de suas vidas mentindo, fazendo assim, com que suas vidas se tornem uma grande mentira, como um conto de fadas.

Não é pecado, nem proibido sonhar, pelo contrário, por termos tantos sonhos que temos uma vida mais interessante, quem não sonha não vive, desde que esses sonhos não nos façam mal ou sejam um absurdo.

O problema maior é quando essas mentiras começam a influenciar na vida de outras pessoas, fazendo com que mais cedo ou mais tarde, as mesmas sofram.

Se passamos tanto tempo procurando um amor, para que maltrata-lo depois cultivando-o apenas com mentiras, falsas esperanças e omissões?

Pior de tudo é quando as pessoas acordam e  veem que o “mundo lá fora” não é nada daquilo que lhes disseram, não é um conto de fadas, muito menos como sonhamos que fosse. É um mundo cruel e sem piedade, um mundo frio que não se importa se você tem alguém esperando por você, se você deixou alguma coisa para o dia seguinte ou coisa parecida, por isso, não deixem nada para depois, façam tudo aquilo que sentirem vontade ou pode ser tarde demais.

Há certos casos de pessoas que ao se depararem com essa realidade, se escondem, se trancam no quarto como uma criancinha com medo dos trovões, procurando assim, fugir de seus problemas e suas responsabilidades. Mal sabem essas pessoas o quanto isso é inútil, pois aonde quer que a gente vá, não importa a distância que andemos ou o quanto nos escondemos, sempre levaremos nossos problemas e responsabilidades conosco, nessa situação, somos nosso pior inimigo.

Temos que aprender a viver com nossos semelhantes, respeitando-os, amando-os e aceitando nossas diferenças, já passou da hora de acabarmos com toda essa indiferença em que vivemos e toda essa corrupção que há, mas para podermos ajudar o mundo, temos que entende-lo e a maneira mais fácil de entender o mundo é entendo o comportamento humano, uma das coisas mais difíceis de serem entendidas.

Ainda há muito para aprendermos, podemos começar entendendo a nós mesmos e tornando ao menos suportável nossa convivência com nossos inimigos.

Caio Dutra Fonseca Lontra - 04/12/2007

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

"Brasil, qual é o teu negócio? O nome do teu sócio? Confie em mim!"


Prezados amigos leitores,

Estou de volta!

Notícia boa pra uns e nem tão boa pra outros, mas enfim, cá estou novamente.

Com um intuito um pouco mais profissional e menos pessoal, espero que continuem seguindo e divulgando o NOSSO BLOG.

Sim, o blog continuará tendo como preferência o que for melhor para nós, mesmo que às vezes tenhamos opiniões contrárias.

Hoje vou dizer sobre um assunto bastante polêmico e que vem mexendo demais conosco, entretanto, não muito agradável (algumas vezes nem amigável), a política.

Sim, estamos em ano de eleição e apesar de já ter meu candidato definido (pelo menos por enquanto), gostaria de pedir que não se deixem levar por pedidos de amigos, parentes ou por opiniões supostamente certas.

Ao que tudo indica, nada, inclusive os candidatos, estão confirmados, então, não se deixem levar por opiniões alheias.

Uns possíveis candidatos já foram presidentes; alguns já concorreram e alguns apresentam propostas que não condizem com nossa ideologia. Mas não devemos pensar só em nós, devemos pensar no país como um todo.

Já foi provado que nos discursos, debates e comícios, grande parte dos candidatos faltam com a verdade (mentem discaradamente), por isso, espero que avaliem, considerem e vejam o que realmente lhes é confiável, lembrando, nós nem sempre “colocamos a mão no fogo” por nossos próprios parentes.

O que na verdade quero pedir e deixar claro é que me ajudem a deixar nosso país melhor, que não vendam seus votos por cestas básicas ou “bolsas facilidade”.

Li há um tempo o livro (Transformando Suor em Ouro) do Bernardinho (Ex-treinador da seleção brasileira feminina de vôlei) e em certo momento ele diz: “Não existem atalhos para o sucesso, mas o trabalho árduo é o caminho mais curto”; e jamais esqueci essa frase, pois assim como ele concordo plenamente que se quisermos melhorar na vida profissional, pessoal, emocional e até política depende apenas de nós, da nossa índole e do nosso caráter.

Sendo assim, peço a vocês amigos leitores, raciocinem, considerem e aí votem, mas com a consciência limpa, pois serão mais quatro anos aceitando, concordando ou aturando nosso próximo presidente.

A nossa realidade não é fácil, apesar de morarmos num país onde o único problema somos nós mesmos (não temos desastres naturais, o que comprova minha afirmação), para fazermos do Brasil um lugar melhor devemos agir com amor, com ética e seguir os dizeres da nossa própria bandeira "Ordem e Progresso".

Caso queiram conversar, expor seus pontos de vista ou até discordar de alguma coisa, basta entrar em contato ou comentar abaixo.

Beijos e abraços,


Caio Dutra Fonseca Lontra (Cadu)

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

"Todo carnaval tem seu fim!"


Prezados amigos e leitores,

Boa tarde!

Gostaria de agradecer imensamente à todos os responsáveis pelos blocos carnavalescos de Porciúncula, meu amigo e sócio no bloco Curtindo a Vida Adoidado Flávio Brum, o pessoal do Bloco da Cand, a galera do bloco Pega e Não se Apega e aos meninos da PX.

Apesar de todos os contratempos, da chuva e da crise financeira, tudo saiu maravilhosamente bem. Infelizmente o público esperado para os blocos não foi atingido, mas certamente TODOS os foliões que compareceram são gratos por não terem deixado o carnaval de Porciúncula morrer.

Agradeço principalmente ao Flávio por ter feito tudo praticamente sozinho no que se diz respeito ao nosso bloco, mas como alguns de vocês sabem, estou com uma filha de quase nove meses e não pude ajudar como no ano passado e como voltarei a fazer nos próximos anos.

O destaque dos blocos esse ano são:
  • O cantor e amigo Duda Rocha que mesmo com público reduzido e o mau tempo se apresentou e não nos deixou na mão, um verdadeiro show de amizade e profissionalismo.
  • O público da Cand que mesmo desmotivado em razão da alteração do local de concentração dos blocos foi excelente.
  • o Dj Vinny, único que manteve as tradições do carnaval tocando marchinhas e sambas de enredo.

Acreditei que no segundo carnaval da minha esposa em Porciúncula e primeiro que ela pôde realmente pular e se divertir nós não fôssemos ter escapatória a não ser fazer nosso carnaval em casa. No entanto, vocês fizeram acontecer o carnaval de nossa cidade e por isso agradeço mais uma vez.

Aos foliões presentes em todos os blocos eu gostaria de agradecer, também e deixar aqui o convite para que voltem nos próximos anos, tragam parentes e amigos, porque no que depender de nós, o carnaval de Porciúncula jamais ficará apenas na memória daqueles que um dia puderam brincar no baile de máscaras do clube e se fantasiar para encontrar os amigos na praça.

Parabéns à todos que tornaram esses dias maravilhosos possíveis e que fizeram as quase onze horas de viagem que fiz para passar o carnaval na nossa cidade valerem a pena.

Ano que vem tem mais e com certeza minha filha, minha esposa e eu estaremos aqui mais uma vez!

Beijos à todos,

Caio Dutra Fonseca Lontra 

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

"Vai ter "nêgo" alucinado! Curtindo a Vida Adoidado!"


Prezados amigos e leitores,

Boa tarde!

Após um enorme período sem escrever, resolvi retornar.

Há quem diga que em certos lugares não há carnaval. Há quem diga também que é desperdício gastar dinheiro com uma comemoração tão mundana.

Particularmente eu discordo dessa colocação, mas respeito, cada um com sua opinião.

Ninguém é obrigado a gastar o que tem, nem o que não tem para comemorar hoje em dia.

Dizem que carnaval é uma época de pecados, mas quando é que não estamos propícios a isso? É muito fácil culpar a festa, a bebida e a alegria de quem pula.

Carnaval é época de festejar, de comemorar, sair em blocos e escolas de samba, época de confraternizar e ser feliz, esquecer mesmo que por alguns dias os problemas e aflições que não serão resolvidas e tampouco ampliadas nesse período.

O povo brasileiro sofre demais o ano todo, é corrupção, violência, educação (em falta), saúde (carência aí também) e etc. Qual o problema em curtir alguns dias?

Em Porciúncula já tivemos o melhor carnaval de toda a região, mas há tempos deixamos de ser referência.

Acredito que o problema não seja os nossos gestores, mas os próprios foliões.
Muitos dizem “Porciúncula não tem nada!”, mas não aproveitam quando tem, mesmo que seja pouco.

Quantos vão para Tombos, Pedra Dourada e outras cidades pular carnaval deixando nossa querida cidade órfã de foliões?

Há quem diga que Porciúncula não tem carnaval, mas quem faz a festa somos nós e esse ano iremos fazer a maior e melhor de todas, tendo ou não qualquer evento na praça da cidade.

Ano passado fiz parte da organização do bloco Curtindo a Vida Adoidado e fui quase nunca me senti tão feliz e satisfeito em toda minha vida, mas este ano infelizmente não pude ajudar meu sócio e amigo Flávio Brum, pois minha filha está com apenas sete meses e eu não teria tempo, nem cabeça para ajudá-lo nesse projeto em que trabalhamos juntos desde 2013.

No entanto, acredito que ano que vem possa ajudá-lo e aos demais blocos novamente, pois com minha filha maior e a minha cabeça no lugar, não teremos problemas para seguir nessa empreitada.

Vamos valorizar o que é nosso, vamos dar credibilidade àqueles que estão tentando fazer o melhor pela nossa pequena gigante porção.

Vamos pular carnaval com os blocos da cidade e nos divertir como nunca.

Dia 26/02: Bloco da Cand
Dia 27/02: Pega e Não Se Apega

Eu já garanti meus abadas, garantam já os seus!

Abraços,

Caio Dutra Fonseca Lontra

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Parabéns Fernandinha Pádua


Dia 27 de abril, dia do nascimento da querida Fernandinha Pádua. Mulher maravilhosa, linda e talentosa.

Difícil explicar QUE AMOR É ESSE que os fãs sentem por seus ídolos, mas quem falou que o amor é pra ser explicado?

Por vezes saí pelas ruas dando GIRO sonhando em esbarrar com você PRA TE DAR UM BEIJO.

Nesse dia tão importante não poderia deixar de fazer ALGO ESPECIAL para você.

PERDOA se não ficou à altura do seu merecimento, mas não é fácil mandar uma MENSAGEM PRA VOCÊ.

Quero que saiba que TÔ DO SEU LADO não só hoje, mas sempre.

VOLTA MEU AMOR ao Rio, cante e encante a cidade maravilhosa.

Sei que NEM SEMPRE FAZ SENTIDO ver os fãs tão orgulhosos e maravilhados com seus ídolos.

Mas é às vezes esse carinho ultrapassa o fanatismo e faz com que digamos: -Fernandinha, VOCÊ É MEU MUNDO!

Parabéns pelo sucesso, pelo carisma e humildade de sempre, que esse dia seja ainda mais especial e maravilhoso, porque você é merecedora disso.

Amamos você e estaremos realmente sempre ao seu lado.

Beijão e feliz aniversário,
Caio Dutra Fonseca Lontra (Cadu)

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

"Amigo, hoje a minha inspiração se ligou em você."


Prezados amigos e leitores,

Boa tarde!

O dia hoje está lindo, o sol brilhando e o bom humor tomando conta das pessoas com quem convivo.

A publicação de hoje é um agradecimento à todos os meus amigos, não vou escrever aqui o nome de todos porque não creio ser necessário, portanto, citarei apenas alguns que representarão os demais.

As irmãs Luquetti de Purilândia, Flávio Brum, Catarina Maciel, Pedro Flores, Rogéria Pardal, Juarez Junior, Letícia Messias, Renato Duval, Samantha Ribeiro, João Tardin, Fernanda Guedes, Jean Bizarro, Tuyane Monteiro, Ramon Fumian, Andressa Melo, Josiel Gomes, Vanessa Machado, Bruno Rico, Íris Cavalini, Filippi Ferraz, Dyanne Heringer, Fabrício Fregnam, Georgia Tannus, Narciso Cruz, Julia Corrêa, Adriano Mansur, Luana Santos, minha família, os amigos do trabalho, do Cerol e de todos os lugares que freqüento.

Amigos, muito obrigado por tudo que já fizeram e sei que ainda farão por mim. Graças à vocês hoje sou o que sou e tenho muito orgulho disso, além de me sentir honrado por fazer parte do ciclo de amizades e da vida de cada um de vocês.

Vocês que sempre estão ao meu lado, apoiando, criticando, abraçando, enxugando as lágrimas, fazendo rir, rindo junto, batalhando, vivendo e vencendo, não fazem ideia do quanto sou grato à Deus pela existência de vocês. Às vezes posso parecer meio ausente, frio ou desanimado, mas acreditem, nada me faz parar de pensar em vocês, de pedir ao papai do céu que os proteja e que os ilumine em cada uma de suas escolhas.

Espero poder vivenciar muitos momentos com cada um de vocês e que esses momentos sejam bons, inesquecíveis e inigualáveis.

Li certa vez que Deus nos dá a oportunidade de escolhermos nossos próprios amigos e que essa é mais uma demonstração de que o livre arbítrio nos foi concedido. Deus nos permite escolher nossos irmãos, não irmãos de sangue, mas de vida, de batalhas, de derrotas e conquistas.

Se me fosse dada a oportunidade de renascer e começar minha vida do zero eu não mudaria nada, exceto a distância que insiste em me separar de grande parte de vocês. Talvez mudaria outras coisas também, como os momentos ruins, mesmo sabendo que esses momentos são essenciais para o nosso crescimento como pessoa, fora isso acho que não mudaria mais nada.

Meu amigos, meus irmãos, peço desculpas se alguma vez falhei com vocês e os decepcionei, se algum dia magoei algum de vocês. Sou um ser humano e também cometo erros, tenho defeitos, mas com vocês tenho forças para tentar ser uma pessoa melhor.

Sei que independente de qualquer coisa posso contar com cada um de vocês, assim como podem contar SEMPRE comigo.

Desculpem se essas palavras não expressam a gratidão, o amor e a felicidade que sinto por tê-los comigo, mas como sabem, não sou muito de me abrir.

Escrever sobre mim aqui foi umas das coisas mais difíceis que já fiz, mas agora posso dizer que expressar o que sinto por pessoas tão maravilhosas quanto vocês também não é fácil, parece por serem tão maravilhosos, mas definitivamente não é.

Espero que saibam que onde quer que esteja, eu sempre estarei orando por vocês.

Bom, vou me despedindo por aqui porque bateu saudade de vocês e a emoção por aqui não está fácil de ser contida.

“A amizade nem mesmo a força do tempo irá destruir. Somos verdade. Nem mesmo este samba de amor pode nos resumir. Quero chorar o seu choro. Quero sorrir seu sorriso. Valeu por você existir, amigo!”

Agradeço desde já o apoio, os comentários e a divulgação de todos que acompanham e seguem o NOSSO blog sempre, seja aqui ou pela página no Facebook.

Fiquem com Deus e até a próxima publicação.

Amo MUITO cada um de vocês!

Beijos do amigo,

Caio Dutra Fonseca Lontra (Cadu)

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Vá com Deus, minha eterna rainha!



Prezados amigos e leitores,

Boa noite!

O dia hoje estava agradável apesar do calor insuportável que fazia na rua.

Hoje não vou escrever um texto como na maioria das vezes, é mais um desabafo.

Não sei quantos de vocês sabem, mas na terça-feira (28/10) após o segundo turno das eleições minha avó materna veio à falecer.

Demorei para escrever sobre isso porque não acho que as pessoas mereçam homenagens após a sua morte, mas enquanto ainda estão vivas.

Minha avó sempre recebeu diversas homenagens de seus familiares e amigos, lembro bem disso.

Também não demorei por não saber o que escrever, estava apenas dando um tempo para que a dor e a saudade virassem algo no mínimo suportável, pois sei que inexistente ela (saudade) nunca será.

Minha avó era o tipo de pessoa que sempre carregou consigo um sorriso no rosto, era de uma fé inabalável e de uma cultura surpreendente. Sempre com seu terço nas mãos, era a sabedoria em pessoa e apesar de analfabeta sempre tinha ótimos conselhos. Uma senhora maravilhosa que com certeza foi direto para o céu, olhar lá de cima por nós junto com Deus e não há quem possa dizer que ela não era uma Santa.

Com toda sua humildade e simplicidade, criou doze filhos e os filhos deles, educou-os com tudo que aprendera com a vida. E QUE vida... Sofreu bastante. Desde a sua infância a vida nunca foi fácil para ela, passou fome e muitas vezes abriu mão de algo que queria muito para ver outra pessoa feliz.

Apesar de pouco mais de uma semana de sua partida, a dor ainda toma conta da nossa família, o nó na garganta e a voz embargada ao falar nela são difíceis de disfarçar, o coração apertado e o peito parecendo que vai explodir tornam nossos dias apenas provas de superação.

É impossível conter as lágrimas ao lembrar que há pouco mais de oito dias estivemos juntos, rimos, conversamos, tomamos café e almoçamos. Nada disso se repetirá, não aqui na Terra.

As lembranças guardadas são apenas as melhores, o que torna tudo ainda mais complicado.

Saber que nunca mais teremos nosso diálogo pela manhã: “- Caio, quer Nescau?”, “- Não vó, obrigado!”, “- Mas, se eu arrumar você bebe?”.

Saber que nunca mais a verei almoçar, lavar o prato correndo e vir trazer para que eu pudesse me juntar aos meus tios à mesa (ela almoçava MUITO cedo).

Saber que chegarei em Porciúncula e não a verei sentada na sala estourando plástico bolha como adorava fazer, ou assistindo à novela, ou até mesmo quietinha, pensando na vida com a serenidade que Deus lhe deu, faz com que toda a graça que eu via na minha terrinha querida se perca e que as lembranças doam profundamente.

Sei que ela não ia querer nos ver sofrendo desse jeito, nem deixando a dor falar mais alto, mas simplesmente perdemos nosso porto seguro, nossa estrela guia, a nossa “vóziquinha”.

Vê-la naquele caixão era de partir o coração, por mais que pudéssemos notar a tranquilidade presente no rostinho dela, mas nada me doeu mais do que carregar o caixão (fiz questão) e ao chegar no túmulo ver o coveiro colocando a última pá de cimento para vedá-lo.

Ela adorava receber cartas, apesar de nunca ter aprendido a ler. Lembro-me o quanto a garotada ficava irritada por ter que esperá-la voltar da missa nos Natais, afinal, amigo oculto sem a presença da matriarca não pode ela estava lá orando por cada um de nós. Sempre distribuiu saquinhos de bala no dia de São Cosme e São Damião (dia do aniversário dela também). Adorava contar histórias e ria demais quando contávamos as nossas. Ficava MUITO feliz ao ver a família unida e reunida nos Natais durante os amigos-ocultos.

Mais uma vez a senhora conseguiu reunir a família toda, mas infelizmente essa foi a última vez que nos despedimos.

É vó, a senhora já faz MUITA falta aqui.

Sinto não poder tê-la curtido tanto quanto queria, quanto devia, mas sei que fiz tudo o que pude para vê-la feliz. Sei que ela foi em paz e não sofreu com a partida. Sei que a dor é inevitável, mas não é eterna. Sei que um dia estarei com ela novamente e que lá do céu ela está olhando por cada um de nós.

Bom, já estou com o rosto molhado pelas lágrimas, então, vou ficando por aqui, meus amigos.

Vózinha, eu te amo demais e jamais a esquecerei!

Agradeço desde já o apoio, os comentários e a divulgação de todos que acompanham e seguem o NOSSO blog sempre, seja aqui ou pela página no Facebook.

Fiquem com Deus e até a próxima publicação.

Beijos do amigo,

Caio Dutra Fonseca Lontra (Cadu)